Aqui eu reuni um conteúdo bastante preciso em referências científicas, para lhe mostrar a importância de tomarmos certos cuidados para mantermos nossa saúde em paz. Também dou algumas sugestões simples e eficazes que, acredite, não são nada complicadas de adotar, basta nos abrirmos para a informação, mudarmos alguns hábitos simples e nos permitirmos por abaixo certos tabus e vícios. Uma vida saudável só nos traz facilidades e alegria na vida, nos alinha com nosso ser e propósito. Então deixe que esta fonte de informação adentre em sua consciência para que você possa colher os frutos que nascem dos hábitos saudáveis. Eu lhe garanto que vale a pena perder um tempinho nesta página lendo tudo o que está aqui. E consultar sempre, pois estarei constantemente atualizando esta página.

Sabe aquele velho ditado que diz "o barato sai caro"? É pura verdade! Pode acreditar que se você precisar gastar um pouco mais para agraciar o seu corpo com alimentos mais saudáveis, você irá economizar depois na farmácia e no médico.

Boa leitura!

 

Não deixe de conferir estas dicas importantes para a sua saúde!

O AÇÚCAR

Hoje em dia existem diversos estudos sérios que associam o açúcar ao envelhecimento precoce,  o câncer, diabetes, redução da massa cinzenta do cérebro e uma infinidade de outras doenças. Ele também bloqueia a absorção de cálcio, cromo, magnésio, zinco e vitamina C. Pior ainda, acidifica nosso corpo, criando o habitat ideal para as células cancerígenas.  Portanto, aqui vão minhas sugestões:

- Açúcar branco refinado: deve ser totalmente evitado, pois passa por processos químicos, que obviamente farão mal a nossa saúde.

- Açúcar de coco: Muito se falou sobre o açúcar de coco ser a melhor opção, com a falsa ideia de ter um índice glicêmico baixo, isso não é verdade. Cerca de 78% da composição do açúcar de coco é puro açúcar, dividido entre sacarose, frutose e glucose. Embora um estudo da Nutrition Research and Practice tenha comprovado que o açúcar de coco é uma opção com menor índice glicêmico (35% contra 65% do açúcar de mesa), na prática isso se deve à maior concentração de frutose. O índice glicêmico apenas mensura a glucose, e não a frutose. Um excesso de frutose é danoso, podendo alterar negativamente a pressão sanguínea e os triglicérides, alterar negativamente o perfil lipídico, diminuir as reservas de vitaminas e minerais, elevar a resistência insulínica e causar obesidade... além de esteatose hepática, ou gordura no fígado.. O açúcar de coco é comparável ao mascavo ou melado de cana em termos nutricionais, por isso pode ser interessante se usado com moderação. Ele é rico em zinco, magnésio, potássio e ferro, além de conter flavonóides e antioxidantes, e é uma fonte natural de vitaminas B1, B2, B3 e B6. 

Stévia e o Maple Scyrup são boas opções por conta do baixo índice glicêmico se comparado aos outros açúcares mais comuns.

Mel e Demerara: devem ser utilizados com muita moderação por conta do alto índice glicêmico.

- Xilitol: um tanto na moda o uso desse adoçante, porém trata-se de um produto que envolve uma série de processos químicos para ser obtido, e é extraído muitas vezes de alimentos transgênicos. É rico em calorias vazias, ou seja, sem valor nutricional. Ainda, xilitol, manitol e sorbitol se enquadram na categoria de carboidratos e açúcares indigestos, e assim permitem que as empresas classifiquem as coisas como “livres de açúcar”, mesmo que estejam fornecendo nutrição para as bactérias ruins que vivem em seu trato digestivo. 

Outra questão importante a ser avaliada, o  xilitol segue praticamente inalterado pelo sistema digestivo, muitas vezes reagindo com outros alimentos presentes no caminho. O resultado é a fermentação do bolo alimentar, que tem como efeito colateral a formação de gases. Por esse motivo, muitas pessoas podem apresentar distensão abdominal, náuseas e até mesmo diarreia após o consumo de alimentos adoçados com xilitol. Para quem tem problemas intestinais, como a Síndrome do Intestino permeável, não é recomendado.

Ainda que contenha menos calorias do que o açúcar, o adoçante não tem efeito nulo sobre a glicemia – ou seja, o xylitol pode causar um pequeno impacto nas taxas de glicose na circulação. Isso significa que diabéticos devem utilizar o adoçante com moderação e sob orientação médica.

- Mascavo ou melado: Quanto mais escuro é o açúcar, mais nutrientes ele tem, como é o caso do mascavo e  o melado (não confunda com melaço, resíduo obtido no processo de fabricação do açúcar cristalizado). Esses açúcares contém ferro, uma opção interessante para as mulheres, que precisam repor esse mineral por conta da perda de sangue mensal.

- Agave: ao contrário do que se prega por ai, não é um adoçante saudável, pois contém muita frutose livre, o que o coloca no mesmo páreo de um xarope de glicose de milho, o preferido da indústria alimentícia por ser barato, porém caríssimo para a nossa saúde por ser de difícil metabolização no organismo, resultado: ele aumenta o nível de triglicerídeos no sangue, estimula a diabetes, problemas cardíacos, envelhecimento precoce e obesidade. 

- Adoçantes artificiais: sugiro evitar totalmente! Trata-se de uma indústria sinistra que se utiliza de diversos artifícios para burlar estudos sobre os efeitos colaterais. Hoje em dia conseguiram concentrar tanto o poder adoçante desses produtos que, em certos casos, não é preciso identificar na embalagem alguns de seus ingredientes, já que a quantidade é muito baixa. Mas seu poder de interferir no nosso corpo é o mesmo, como se fosse um veneno altamente concentrado, responsável pelo câncer e problemas neurológicos. Minha recomendação é: passem bem longe de adoçantes artificiais! 

Veja aqui um documento científico que comprova que a sacarina, um dos mais antigos adoçantes, causa câncer (em inglês): https://www.scientificamerican.com/article/artificial-sweeteners-may-change-our-gut-bacteria-in-dangerous-ways/

E aqui outro documento que aponta 94 problemas de saúde causados pelo aspartame (em inglês): https://www.tanyaannecrosby.com/straight-talk-about-aspartame/

Neste artigo, em inglês, é mostrado estudos que associam adoçantes artificiais a obesidade, por conta do dano causado a microbiota intestinal:http://www.nature.com/news/sugar-substitutes-linked-to-obesity

 

Evite totalmente o sal comum refinado, que além de deixar sua comida com gosto de cloro, faz mal a saúde porque passa por processos químicos que envolve solventes para ficar branquinho e soltinho. Ele é também iodado artificialmente, pois perde o iodo natural no processo de refinamento, e esse iodo artificial, juntamente com o sódio, causa retenção de líquido, favorecendo a famosa celulite e outros problemas de saúde, que afetam sua tireoide, além de aumentar a excreção de cálcio pela urina. É também pobre em nutrientes, na verdade contém apenas cloreto de sódio, que é um veneno para o organismo. O sal light é recomendado a quem tem problemas renais, por conter um baixo índice de sódio, porém não tem também os nutrientes como o sal que cito abaixo, e passa por processos químicos como o sal comum. O sal marinho ou sal grosso (não refinado, não iodado artificialmente e que não recebe desumidificadores) e flor de sal (brasileiro, porque o importado vem contaminado com mercúrio e plástico) são naturais e ricos, podendo conter mais de 60 tipos de minerais. Nos sais importados, em muitos casos, segundo pesquisa feita pela Scientific Report, é possível encontrar até 30 partículas diferentes de plástico no sal que vem do mar, devido a alta quantidade de lixo plástico despejado nos oceanos. O sal do Himalaya, de cor rosa, vinha sendo considerado a melhor opção, por ser mais rico em minerais, proveniente das montanhas do Oriente Médio. Como  popularizou demais, hoje existem suspeitas desse sal estar "batizado" (veja vídeo abaixo). No Brasil andam até tingindo o sal e vendendo ao preço do original. Ele também é iodado artificialmente quando é empacotado aqui, por conta  das normas brasileiras.

O sal Negro é uma opção interessante. Proveniente de áreas vulcânicas, é rico em enxofre, mineral o qual temos pouco contato pelos alimentos. Mas como sempre, em se tratando de importados, é bom checar bem a procedência, pode também ser "batizado" e receber o iodo artificial.

Praticamente todo o sal brasileiro vem de Mossoró, e é hoje considerado o melhor sal a ser consumido no mundo, segundo especialistas. Vem de uma área no Brasil onde o mar não está tão contaminado. Existem muitas empresas de sal nessa região, nem todas oferecem um sal sem aditivos químicos ou sem processo de refinamento, é importante checar bem o tipo de sal que você pretende comprar. 

Sal de Córrego, também da região de Mossoró, é um tipo de sal o qual ainda não temos muito acesso, mas é o mais puro que podemos encontrar. feito a partir de um processo totalmente artesanal, é tão rico em magnésio (tem 4 tipos desse mineral) que ele fica com um aspecto melado. 

O SAL

OS ÓLEOS

Vou começar do pior para o melhor. O óleo canola é feito a partir de uma modificação da planta colza (se um animal a come ele morre do coração!), que contém ácido erúcido, altamente tóxico. Além disso, não é um óleo comestível e sim industrial, usado na produção de velas, lubrificantes e até biocombustível. Resultado: problemas cardíacos, câncer e atraso no crescimento. O FDA (órgão de saúde regulador nos EUA) proíbe o uso desse óleo em fórmulas infantis, e ele foi banido também dos restaurantes na Califórnia por ordem governamental. É  ainda altamente inflamatório e causa déficit de vitamina E. A longo prazo, destrói o revestimento de proteção do cérebro e provoca doenças degenerativas, afinal, estamos falando de um óleo com alto teor de gordura trans. Os óleos vegetais no geral não são bons, para que durem mais e não fiquem rançosos, todos passam por um processo que os transformam em gordura trans, que fica ainda pior quando aquecido, pois liberam químicos chamados de aldeídos, responsáveis por doenças cardíacas, câncer e demência. Outra gordura nada recomendável é a margarina vegetal, que passa por processo de hidrogenação, ou seja, tornam-se a famosa gordura hidrogenada, que seu organismo é incapaz de eliminar, portanto, vai ficar for ever no seu corpo! Óleo de gergelim, abacate (ótimo para a pele), castanhas e azeite são bons mas não podem ser aquecidos pois oxidam, e devem ser extraídos a frio e armazenados em vidro escuro. O óleo de linhaça contém omega 3, extremamente sensível a luz, ao oxigênio e ao calor, o que o deixa ainda mais passível de causar inflamações no seu corpo por conta da oxidação. Ele deve ser armazenado também em vidro escuro e refrigerado, portanto, considerando o processo industrial, que envolve extração, armazenamento e transporte, é muito provável que esse óleo chegue até você já oxidado. Um óleo sensível, quando estragado, se hidrogena parcialmente, criando uma molécula polimerizada semelhante ao plástico. Neste estado, o óleo cria uma inflamação sistêmica - o corpo luta contra este "plástico" por reconhecê-lo como uma substância nociva.  Quanto aos azeites, existe uma polêmica grande sobre adulterações, e não só no Brasil. Nos EUA,  a ONG Pharmacopeial Convention informou que entre os alimentos mais camuflados nos EUA estão os azeites. O ghee (manteiga clarificada) não tem lactose e não satura, mas é altamente gorduroso, o que não é ruim, a menos que você esteja numa dieta restrita para perda de peso. Deve-se considerar a origem dessa manteiga, é importante que o leite tenha sido extraído de vacas que se alimentam de grama e não de soja e outros produtos, na  sua maioria cheio de agrotóxicos e transgênicos. As melhores opções são o óleo de coco extra virgem, óleo de babaçu e o de palma não refinados. O primeiro é considerado um dos melhores alimentos do mundo, logo depois do leite materno. Ele satura apenas acima de 170 C em e tem uma infinidade maravilhosa de benefícios, como tratamento de pacientes com Alzheimer e Aids, e colaboram muito na imunidade e perda de peso. Ele é antifúngico, antibacteriano, antiviral, anti-inflamatório, não deixa o HIV progredir (em alguns casos até reverte), regula as doenças auto imunes, fortalece o cabelo (pode ser usado também diretamente no cabelo, na pele e é ótimo para higienizar os dentes), diminui o colesterol, cura úlcera, síndrome do intestino irritável, etc.  O óleo de palma deve se extraído do caroço da palma e não da polpa (é importante checar bem a procedência pra saber se não misturaram), a gordura do caroço é a que não satura e é riquíssima em tocotrienóis, um poderoso antioxidante. O óleo de babaçu é também bastante rico em ácido láurico, ou seja, é antifúngico e antibacteriano. Esbaldem-se!

 

Cozinhar com óleo vegetal libera substâncias tóxicas cancerígenas - The Telegraf

Óleo de canola

O dr. Lair Ribeiro nos dá um importante alerta sobre os malefícios de certos óleos vegetais, em especial o óleo canola.

Óleo de coco

O cardiologista nos dá uma aula sobre os benefícios do óleo de coco. 

 
 
 
 

 AS FRUTAS

 

 

Segundo a ayurveda e alguns naturopatas, nunca devemos misturar as frutas ácidas com frutas doces. Para cada tipo de fruta nosso corpo produz um suco gástrico diferente para digerir, portanto, se as misturarmos, nossa digestão será trabalhosa e complicada, criando gases que podem ser tóxicos. Ou seja, a famosa salada de frutas ou sucos com frutas de acidez diferente misturadas não é nada recomendável. O ideal mesmo é consumir cada fruta separadamente, com intervalo de tempo suficiente para que a digestão se complete (pelo menos 30 minutos). Não devemos comê-las logo após a refeição, pois elas passam muito rápido pelo estômago, e se houver outros alimentos na fila da liberação, elas ficarão presas e fermentando, gerando gases tóxicos no corpo. É melhor que elas sejam consumidas de estômago vazio, e não logo após a refeição,  ou seja, nada de fruta na sobremesa! Não é aconselhável também que se misture frutas com açúcar, a frutose já é bastante glicêmica, devendo ser consumida com moderação. Procure também optar pelas frutas da época, pois não sofrem alterações artificiais, e sentir quais frutas são mais compatíveis com seu corpo, observando como seu sistema digestivo reage. Outra recomendação é que se coma a fruta ao invés de fazer suco, assim a absorção da frutose se dá de maneira menos danosa ao nosso sistema, por conta das fibras que estamos ingerindo. E claro, fuja dos sucos de caixinhas, são pura enganação, sempre cheios de açúcar e químicos conservadores e pouquíssima poupa de fruta.

Consuma frutas com moderação, apesar da frutose ser um açúcar natural, ela é altamente glicêmica, considerada uma ativadora das células cancerígenas e responsável pela inflamação de glândulas cerebrais, segundo o Dr. Gabriel Cousens.

Quanto ao limão e outras frutas ácidas, evite usá-las em sucos verdes ou saladas, elas desestruturam a clorofila.

.

 

 .

 

Dr. Lair Ribeiro e os sucos

É melhor tomar o suco ou comer a fruta? Entenda a importância das fibras  na proteção do nosso organismo em relação a ação da frutose.

Adoçantes artificiais

Aqui o Dr. Lair Ribeiro nos alerta sobre os perigos dos adoçantes artificiais, em especial a Sucralose. Uma substância que foi criada a princípio para servir como inseticida. Uma fórmula química que não existe na natureza, portanto seu corpo não sabe o que fazer com ela quando ingerida. Altamente poluidora na sua fabricação e tóxica também quando colocada em  alta temperatuda.

Dr. Gabriel Cousens e a frutose

Um dos mestre da medicina holística, fundador do Tree of Life nos EUA, um centro de curas por meio de práticas de saúde e bem estar, com ênfase na alimentação saudávele crudívora. Autor de diversos livros sobre consciência alimentar, espiritualidade e especialista na cura da diabetes. Neste vídeo ele nos dá uma aula sobre os cuidados que devemos ter com a frutose. Em inglês.

Artigos do Site

Os óleos vegetais

Uma entrevista bastante esclarecedora com o Dr. Souto sobre  a qualidade e os tipos de óleos vegetais. Temperatura ideal, oxidação, estabilidade, benefícios e prejuizos a saúde, verdades e mentiras sobre as propriedades apontadas nas embalagens e o que a mídia de manipulação alega, etc.

Apoiadores
Tag Cloud
Siga
Contato
  • Wix Facebook page
Alimentação consciente, saudável e sustentável

A melhor opção de Sal não é o do Himalaya

Conceição Trucon é uma das pioneiras no Brasil na área de alimentação consciente e saudável. Cientista e Bacharel em química, ela nos dá muito embasamento científico e confiança em suas afirmações. Aqui uma aula sobre o sal do Himalaya e seu grande achado: o sal de Mossoró, feito no Brasil e considerado o mais puro por ela. Disponível na loja de seu site Doce Limão.

Youtube.jpg

COGUMELOS PARIS

AGROTÓXICO

Eu sempre irei dizer isso pras pessoas: prefira alimentos orgânicos, o que você gasta com eles você economiza, bem mais, em remédios e  hospital  depois.  Agrotóxico    é  veneno   na   veia!!   Causador  de câncer,    problemas hormonais e reprodutivos, neurológicos (Alzheimer, Parkinson, autismo), diabetes do tipo 2, má formação do feto  e até alteração de DNA. Veja também estudo da Environmental Research.

É   sabido  que  no  Brasil,   país   maior  consumidor  de  agrotóxico  do  mundo, muitos alimentos recebem overdose de agrotóxico, e pior, de alguns tipos que são até proibidos em outros países. Segundo estudo do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o brasileiro consome, em média, 7,5 litros de agrotóxico por ano. Existem mais de 20 marcas de agrotóxico proibidas nos Estados Unidos e na Europa que são comercializadas livremente no Brasil. Entre eles, o 2,4-D, que é um agrotóxico feito a partir do ácido diclorofenoxiacético, o mesmo componente do Agente Laranja, que foi utilizado como arma química na Guerra do Vietnã, e o Roundup fabricado pela Monsanto, utilizado a rodo em plantações de soja no Brasil, e que provoca a multiplicação de bactérias que não morrem com antibióticos. O Roundup contém Glifosato, que causa doenças como o câncer, autismo, Alzheimer, problemas cardiovasculares, desnutrição, etc.  Mas se for difícil de achar alimentos orgânicos, então opte por aqueles que estão mais feinhos e pequenos, lhe garanto que são mais saudáveis, com menos químicos e mais saborosos. Evite alimentos frescos importados, eles terão mais químicos para suportar a viagem, assim como os alimentos fora de época, para que durem mais. Não abra mão de comprar sempre orgânicos os pimentões, pepinos, tomates, morangos, alfaces, uvas, as berries (mirtilo, framboesa, cereja, etc) - veja aqui pesquisa sobre quais alimentos contém mais e menos agrotóxicos. Esses alimentos são mais sensíveis ao agrotóxico, sofrendo alto índice de contaminação química. Outra opção é seguir a dica do Dr. Lair Ribeiro para eliminar uma parte do agrotóxico, o que está na superfície do alimento, porque aquele que está na seiva, já que a planta está em solo contaminado, não tem jeito mesmo. Tudo isso, sem contar os danos aos trabalhadores da lavoura e ao meio ambiente, destruindo a biodiversidade, contaminando nosso lençol freático, onde está a reserva de água pura do planeta, e por aí vai... Uma prática já comprovada ser desnecessária, pois a permacultura apresenta tantas outras alternativas mais sustentáveis e ecológicas. Agrotóxico virou coisa da idade da pedra, fruto de uma política exploratória e burra.

Uma dica ótima, e que pode quebrar as pernas da indústria do agrotóxico, é juntar os vizinhos e fazer pedidos para algum produtor de orgânicos confiável próximo a sua cidade, que também utiliza adubo orgânico nas plantações, além de incentivar esse tipo de cultivo e ajudar esses produtores, é provável que vocês acabem pagando o mesmo preço da feira convencional, como acontece no prédio onde moro, em São Paulo.

Deixo aqui alguns sites e vídeos com mais informações sobre o uso e abuso de agrotóxicos no Brasil, e uma inspiração poética sobre o tema.

 

- Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida

- Brasileiro consome 5,2 litros de agrotóxico por ano, alertam ambientalistas

- Anvisa analisa menos de 50% dos agrotóxicos e ignora o mais usado no país

- Brasil fiscaliza agrotóxico só em 13 alimentos, enquanto EUA e Europa analisam 300

- Agrotóxico que reduz QI de crianças tem uso crescente no Brasil

- Agrotóxico pode causar Alzheimer, anencefalia, autismo, câncer, disfunções sexuais, hipotireoidismo e diabetes

Sabe aqueles cogumelos redondinhos, bonitinhos e super branquinhos, que parecem até de conto de fadas? Pois é, as aparências sempre enganam... Prefira sempre os sujismundinhos, pois estes não foram besuntados com remédios para ficarem bonitinhos. Mas se você não tiver outra opção, então ferva-os na água com limão ou vinagre, para que voltem a ser saudáveis.

 

 

 

Como eliminar o agrotóxico dos alimentos

Uma dica valiosa e simples do dr. Lair Ribeiro sobre como eliminar o agrotóxico dos alimentos.

O venenno está na mesa II

Nesta versão atualizada do documentário, o diretor Silvio Tendler vai mais longe na abordagem do modelo agrícola nacional atual e suas consequências para a saúde pública. E nos deixa com as perguntas: Em qual mundo queremos viver? O mundo envenenado do agronegócio ou da liberdade e da diversidade agroecológica? 

 
 

O Mundo Segundo A Monsanto

A Monsanto é a mais importante multinacional fabricante de transgênicos.  Neste documentário realizado pela jornalista francesa Marie- Monique Robin, é apontado como a Monsanto escondeu informações e manipulou resultados, para fazer com que alimentos transgênicos fossem comercializados sem que houvesse uma pesquisa sobre os efeitos colaterias na saúde das pessoas e no meio ambiente.

ALIMENTOS TRANSGÊNICOS

Os alimentos transgênicos são aqueles modificados geneticamente em laboratório. Isso os torna resistentes a herbicidas ou capazes de produzir toxinas contra pragas, entre outras capacidades. Em resumo, trata-se de uma combinação genética que jamais aconteceria na natureza. Sabe aquela história do elefante que está na sala e todo mundo finge não ver? Pois é este o caso aqui. São tão óbvios os riscos que chega a ser assustador ver as políticas a favor do uso de um alimento que contém toxina na própria genética. E como se não bastasse, estas sementes são estéreis, o que significa o monopólio da semente nas mãos de uma única empresa, a Monsanto. É muito poder sobre nossa saúde, nosso alimento, nossa vida. Essas sementes devem ser compradas a cada plantio, e junto com elas, um pacote de venenos que vão desde fertilizantes até pesticidas, os piores já inventados pela indústria química, também causadores de inúmeras doenças e deficiências, como a da vitamina B12. O Glifosato, usado também em plantações de trigo não transgênico (pasmem!!), é uma das principais causas da intolerância ao glúten. Lembrando que animais de abatedouro comem também estes químicos, transferindo para os seres humanos que se alimentam desses animais.

Como você pode ver nos links abaixo, já existem estudos comprovando a incidência de câncer, além de outros danos, como a destruição da flora intestinal, o que abre precedentes para as mais variadas doenças (veja artigo sobre a Síndrome do Intestino Permeável). Segundo a bióloga phd Stephanie Sneff, que já publicou mais de 170 artigos sobre o tema, os transgênicos estão entre as principais causas de doenças neurológicas em crianças, sendo o autismo a estrela principal. Segundo uma pesquisa do MIT (Massachusetts Institute of Technology), em 2025 metade  das crianças do planeta terão autismo. Sem contar todo o dano ambiental e o risco de perdermos pra sempre a diversidade de espécies disponíveis no planeta (veja o documentário abaixo para entender melhor). E ainda tem gente que pergunta, mas pra que precisamos de tanta variedade? Pois eu respondo: é na variedade que encontramos todos os nutrientes que precisamos, as medicinas, os elos que conectam e alimentam toda a vida deste planeta, e que tem seu propósito de existir pois todos tem um papel nessa cadeia. Hoje já existem diversos países que baniram completamente o uso de transgênicos em seu solo. Porque será, né? Enquanto que aqui tentaram banir a obrigatoriedade da rotulagem dos transgênicos. Eu sempre digo, não contem nunca com políticos, quem manda aqui somos nós, basta dizermos não nos supermercados e feiras. Se todo mundo parar de comprar ninguém vai querer produzir mais. O mesmo para os alimentos não orgânicos, diga-se de passagem.

 

- Países que proibiram o cultivo de alimentos geneticamente modificados

- Transgênicos causam até três vezes mais câncer em ratos, diz estudo

- 815 cientistas de 82 países pedem o fim dos transgênicos

- TRANSGÊNICOS APROVADOS NO BRASIL

- Monsanto dirty dozen

- Toxicology Expert Speaks Out About Roundup and GMOs

- Deficiência da B12 e glifosato, quem diria? - Dr. phil. Sônia T. Felipe

Chico César - Reis do Agronegócio

Pra tocar em todos os lugares sem parar...
♫ Ó donos do Agrobiz, Ó Reis do Agronegócio, Ó Produtores de alimento com veneno, vocês que aumentam todo ano sua posse, e que poluem cada palmo de terreno, e que possuem cada qual um latifúndio, que destratam e destrói, o ambiente... De cada mente de vocês olhei no fundo, e vi o quanto cada um no fundo mente... ♪

TPerguntas e respostas sobre os riscos dos Transgênicos

Jeffrey M. Smith, ativista e autor de diversos livros sobre esses tema, como Genetic Roulette and Seeds of Deception: Exposing Industry and Government Lies About the Safety of the Genetically Engineered Food" . Aqui Jeffrey não nos deixa dúvidas sobre os perigos e o quanto os órgãos reguladores ignoram tudo isso.

LÁCTEOS

Não é à toa que cada vez mais se fala mal do leite de vaca e seus derivados. A Universidade de Harvard chegou a limitar esse produto da pirâmide alimentar. Estudos científicos vem aprofundando e confirmando os inúmeros malefícios desse alimento que originalmente serve apenas para desenvolver bezerros. O leite da vaca contém mais de 60 hormônios anabólicos (altíssimo nível  de estrógeno, um hormônio feminino) para cumprir essa função, porém estes são incompatíveis  com o corpo humano, tornando-se uma verdadeira bomba com efeitos colaterais assustadores. O leite de vaca contém também proteínas que o ser humano não é capaz de digerir, sendo  25 delas alergênicas. Existe também cerca de 80% de caseína no leite de vaca contra 20% no leite humano, tornando-o ainda mais indigesto. A caseína está associada a câncer, diabetes, vício alimentar e outras tantas coisas nada recomendáveis ao corpo humano. A famosa lactose também causa danos no nosso sistema digestivo uma vez que perdemos a capacidade de quebrá-la após os 7 anos de idade.

Fora isso, a indústria injeta mais hormônios na vaca para simular a gravidez, para que assim, ela produza leite por mais tempo que o normal, o que só faz aumentar a carga hormonal que será despejada no leite. Entram também nessa alquimia venenosa antibióticos, vacinas, soja transgênica, e outros tantos produtos químicos adicionados na caixa do leite, como conservadores, colorantes, etc. Tudo isso não só mal trata nosso organismo, causando irritabilidade gástrica e intestinal (veja artigo sobre Impermeabilidade Intestinal), como também  causa uma série de doenças, todas já comprovadas, entre elas: diversos tipos de alergias, câncer (próstata, seios, testículos, pâncreas, ovário, pulmão, etc), Parkinson, diabetes, obesidade, puberdade precoce, autismo, catarata, doença de Crohn, inflamações, desequilíbrio hormonal, acne, doenças coronárias, enxaqueca, artrite, etc.

E ainda existe o mito do cálcio. Um dos maiores e mais persistentes erros é achar que os laticínios tem alguma relação com a  absorção do cálcio pelos nosso ossos. Já existem inúmeros estudos e diversos profissionais da área mostrando o contrário. Apesar de ser rico em cálcio tem pouco magnésio, impedindo a fixação do mesmo nos ossos, e tem fósforo demais, que compete com o cálcio. É rico também em proteína animal, o que altera o ph do sangue, e para reequilibrá-lo, o organismo retira cálcio dos ossos. Portanto o leite e seus derivados na verdade prejudicam a  absorção  do cálcio, podendo agravar a osteoporose. A suplementação de cálcio também não é recomendada, pois corre-se o risco desse cálcio ir para os outros órgãos, podendo calcificar o rim e veias coronárias.

Os laticínios atrapalham também a absorção do ferro. graças ao composto caseinofosfopetídeos. O ideal é consumir alimentos com cálcio de origem vegetal como couve, agrião, rúcula, brócolis, gergelim, amêndoas, feijão branco, etc; juntamente com uma boa dose de vitamina D3 (sol), importante agente de fixação do cálcio nos ossos. Veja aqui tabela de alimentos ricos em cálcio.

Animal nenhum no mundo toma leite de outra espécie ou continua a ingerir leite depois de adulto, o ser humano é o único que faz isso, e o resultado vemos refletido na presença das inúmeras doenças citadas aqui. As pessoas estão achando que o normal é ter alguma doença. Um grande erro! O normal é vivermos uma vida saudável fazendo  aquilo que é da natureza humana, e ingerir leite de vaca não é uma delas.

 

- Ministério da Saúde reconhece alimentação vegana como saudável e alerta sobre produtos de origem animal como carnes, laticínios e ovos 

- Os 5 mitos ridículos sobre o leite de vaca

- Universidade de Oxford vota a favor de refeições veganas para ajudar a combater mudanças climáticas

Dr. Mercola Interviews Dr. Huber about GMOs

Dr. Mercola é responsável por uma série de entrevistas bastante interessantes e relevantes sobre saúde. Um verdadeiro ativista no trabalho de conscietização sobre esse tema. Aqui ele conversa com Dr. Huber, um especialista em toxicologia, sobre os malefícios dos transgênicos. Em inglês.  

Os perigos do leite

Aqui a nutricionista Denise Carreiro explica claramente porque devemos cortar o leite e seus derivados da nossa dieta. E dá um exemplo pessoal sobre a cura de seu filho após mudar a dieta.

GLÚTEN

O glúten é encontrado em cereais como trigo, cevada e centeio, porém outros cereais como a aveia podem sofrer contaminação cruzada. O glúten está associado a mais de 300 tipos de doenças, entre elas, as auto-imunes, problemas neurológicos, diabetes, doenças de pele, alergias, asma, enxaqueca, fadiga crônica, inflamações, artrite, infertilidade, etc; em grande parte por conta da Permeabilidade Intestinal (veja artigo no blog do site). Toda vez que se ingere glúten, o intestino fica permeável por 30 minutos, ao longo do tempo esse período aumenta, até que se torna um grande transtorno, ou seja, a pessoa não só desenvolve a doença celíaca, como também seu intestino para seu trabalho de seleção de toxinas e nutrientes deixando entrar todo tipo de tranqueira no seu sistema linfático, e essas toxinas poderão se instalar em qualquer parte do seu corpo. Nosso organismo não é capaz de quebrar a proteína do glúten, portanto, em resposta a essa exposição, os anticorpos são ativados, e na tentativa de quebrar essas cadeias de aminoácidos, acabam atacando outras partes do corpo que também são formados por cadeias semelhantes. Ou seja, reconhece como estranho tecidos e órgãos, e a partir daí o dano a saúde é inevitável, causando as doenças auto-imunes (o corpo é atacado por anti-corpos). Antes o pão era feito em um processo de fermentação prolongado, que levava mais de um dia, dessa forma criavam-se as bactérias que iriam ajudar a quebrar essas moléculas, hoje a indústria utiliza aceleradores, que acabaram sendo adotados pelas próprias pessoas que se dizem fazer o pão caseiro. 

Cerca de 40% da população tem o gene da doença celíaca, porém o glúten pode causar inflamação e permeabilidade em todos, segundo Dr. Alessio Fasano. Outra razão para aumentar o número de pessoas sensíveis é a modificação genética do trigo. Hoje o trigo tem 400% mais de glúten do que há 50 anos atrás. O glúten atua como uma droga no cérebro, trás uma sensação de bem estar, dando uma falsa impressão de não fazer mal, porém, a gluteomorfina presente encurta de 10 a 12 anos de nossa vida. A doença celíaca muitas vezes leva cerca de 10 anos para ser diagnosticada. Por essa razão é importante fazer exames profundos e completos, não é possível confiar num simples exame de laboratório realizado uma única vez. Alguns exames dão positivos e outros negativos, o ALCAT é um dos confiáveis.

Ingerir glúten é como uma roleta-russa, nunca se sabe quando ele vai ativar o gene e causar uma inflamação em cadeia.

 

Menino reduz o autismo ao tirar glúten e lacteos

 

Porque não se deve viver só de pão

O dr. italiano Alessio Fasano, uma assumidade no tema glúten, nos conta casos ao longo da história da nossa alimentação, fala das doenças auto-imunes, cita diversos estudos científicos, estatísticas, fala sobre genética, detalha as diversas doenças decorrentes do consumo do glúten, explica a revolução da agricultura e suas implicações ao longo da história, etc. Muitos detalhes científicos interessantes, uma aula e tanto sobre o corpo humano. Com opção de legenda em português.

 

Entrevista com a Dra. Denise Carreiro

Uma entrevista bem completa sobre os efeitos do glúten no organismo, o histórico de consumo no país, hábitos nada saudáveis em nome da vida prática, conveniência da indústria do alimento a base de glúten, dados estatísticos, polêmicas sobre o alimento saudável, etc. Vale a pena!

 
 

Fuja de todos os enlatados, incluindo o azeite! O alimento é contaminado pelo metal, que acaba entrando no seu organismo. Esses metais, assim como o alumínio de panelas e talheres, são grandes causadores de doenças neurobiológicas como o Alzheimer, por exemplo. Sem contar os conservantes que colocam nos enlatados. Melhor mesmo é optar pelos alimentos frescos, sempre! Sobre as panelas de ferro, cuidado, ferro em demasia no organismo também não é nada bom, vira um oxidante, ou seja, terreno fértil para inúmeras doenças, entre elas o câncer. As melhores opções de panelas são as de cerâmica, barro e vidro (a de inox libera níquel, outro metal tóxico). E evite totalmente alimentos enriquecidos com ferro, pois o ferro que utilizam é o metal e não o mineral. Inacreditável? Então vejam o vídeo abaixo, eu garanto que nunca mais vocês vão querer alimentos enriquecidos com ferro.

 

 

 

 

OS ALIMENTOS E OS METAIS

O perigo dos alimentos enriquecidos com ferro

Com direito a experimento científico, o dr Lair Ribeiro nos alerta sobre o verdadeiro ferro que é adicionado aos alimentos industrializados: metais tóxicos e inorgânicos que envenenam nosso corpo.

 

O CAFÉ

Juro que não quero aqui ficar falando mal do café, sem dúvida um café sem agrotóxicos tem suas propriedades, apesar de ser ácido, ou seja, nada recomendável para pessoas com câncer ou artrite. Também não é indicado para pessoas com problemas intestinais por conta dos riscos de irritar ainda mais esse órgão.Tirando isso, ele é interessante pois ajuda a prevenir Alzheimer. Mas o problema que quero destacar aqui ocorre quando você decide tomá-lo logo após as refeições, como é de hábito de todo brasileiro. Você almoça no restaurante e junto com a conta vem sempre o famoso cafezinho digestivo. Um erro!! Principalmente se você tem problemas de deficiência de ferro e cálcio, pois o café impede a absorção desses minerais e a cafeína faz com que o cálcio seja eliminado pela urina. E não adianta depois se entupir de leite e derivados achando que assim você vai resolver o problema do cálcio (veja a dica sobre lácteos). O ideal é que você espere ao menos umas 2:30 horas após as refeições pra tomar o seu café. Para as gestantes, a recomendação é de evitá-lo, por risco de aborto e má formação congênita do feto. Não é recomendável também tomar café a noite, pois pode interferir no sono, e uma noite bem dormida é o melhor remédio preventivo que o nosso organismo pode ter, pois é a noite que regeneramos todo o nosso corpo. E por fim, o café é um diurético, por conta da cafeína presente, portanto não esqueça de se hidratar com bastante água se você for um consumidor assíduo do café.

 

 

 

CACAU X CHOCOLATE

O alimento dos Deuses aztecas! Afinal, os Deuses comem só o melhor. É, estamos falando do cacau na forma mais pura, já nessa versão industrializada cheia de açúcar, gordura hidrogenada, leite e cacau de péssima qualidade, pode ser considerado o alimento para encontrar os Deuses rapidinho, já que sua saúde não vai lhe permitir viver na Terra por muito tempo. Tem gente que ouve falar que o cacau é saudável e se entope de doces que nem deveriam ser chamados de chocolate, pois contém uma porcentagem muito pequena de cacau, e cacau de segunda categoria e cheio de açúcar. Mas nada como a informação pra você se permitir daqui pra frente nutrir-se com o cacau dos Deuses. É um alimento riquíssimo em antioxidantes que protegem suas artérias, o sistema nervoso e combate os radicais livres. Contém mais de 160 nutrientes, portanto é considerado um super alimento. É rico em fibras, ferro e magnésio, que ajuda a diminuir os níveis de açúcar no sangue. Mas se você tem problemas de carência de cálcio, consuma-o com moderação, pois ele aumenta a eliminação de cálcio pelas fezes.

O nibs de cacau (semente tostada) é bastante amargo, é o cacau 100%, mas atente para o tanto que foi tostado, o ideal é temperaturas até 42 C. Fica delicioso se batê-los numa vitamina com leite de amêndoas adoçada com açúcar de coco, ou usá-los triturados em bolos e tortas doces, como o brownie. Hoje, graças aos Deuses, já conseguimos encontrar no mercado brasileiro o chocolate orgânico de 50, 60, 70 e até mesmo 100% cacau, deliciosos! Agora, se você não pode com o cacau de jeito nenhum, por conta da cafeína, experimente o "chocolate" feito com as sementes do cupuaçu, fantástico!

 

 

 

 

 

SOJA

Existem mais de 280 estudos científicos comprovando os malefícios da soja. Alguns dos motivos são:

1 - Abundância de Ácido Fítico: anti-nutrientes que queimam Cálcio, Magnésio, Ferro, Cobre e Zinco, ou seja, não deixa que nosso metabolismo aproveite estes nutrientes essenciais. Métodos convencionais para retirá-los, como deixar de molho na água, cozinhar ou germinação, não resolvem no caso da soja;

2 - Inibidores de Tripsina: sem esta enzima pancreática, passa a haver deficiência de digestão das proteínas, que podem causar distúrbios pancreáticos e retardo no crescimento;

3 - Fitoestrógenos: substâncias semelhantes aos hormônios femininos que causam distúrbios hormonais importantes (principalmente em crianças, conduzindo à puberdade prematura), e que está associado a infertilidade, ao desenvolvimento do câncer na tireoide e seios. Em crianças causa também problemas de tireoide autoimune. Segundo o dr John Mc Dougall, chega a ser 30% mais perigoso que os laticínios;

4 - Déficit de virtaminas B12 e D: O consumo de soja aumenta a necessidade de Vitamina B12 e D (que já é insuficiente em grande parte da população);

5 - Toxicidade:  a soja tem altas concentrações de Alumínio e Manganês, além disso, hoje em dia praticamente toda soja é transgênica;

6 - Substâncias inibidoras: inibem a transformação do hormônio da tireoide T4, o hormônio mais importante e ativo da tireoide T3, podendo gerar todos os distúrbios relacionados à deficiência da tireoide, incluindo o câncer;

7 - Ácido glutâmico livre: é uma poderosa neurotoxina formada naturalmente durante o processamento da soja. Estimula a tal ponto nossos receptores de sabor no cérebro que pode matar neurônios. Existem documentos de casos de morte súbita por excitotoxinas;

8 - Transgênica: praticamente toda a soja encontrada no Brasil é transgênica, o que significa que, além dos malefícios citados acima, contém muito mais fitoestrógenos do que a soja natural

9- Proteína isolada: para produzí-la os grãos da leguminosa são primeiramente moídos e depois mergulhados em solvente químico de petróleo, e assim extrair os óleos naturais do grão. Depois disso, passa por uma lavagem ácida, feita geralmente em enormes tanques de alumínio. que é tóxico para o sistema nervoso, rins e medula óssea. O que sobra é neutralizado em uma solução alcalina e depois desidratado em altas temperaturas para produzir um pó proteico. A proteína isolada de soja pode ter até 100 vezes o conteúdo de alumínio que se encontraria nos grãos in natura e é altamente cancerígena;

10 - Soja texturizada: conhecida como carne de soja, trata-se de um resíduo industrial, onde já foi tirado o óleo e o leite, portanto não contém nutriente nenhum. Mas não é só isso, ela é tão venenosa quanto a proteína isolada, já que o seu processamento resulta na formação da lisinoalanina e das nitrosaminas, altamente tóxicas e carcinogênicas. E muitas vezes adicionada de corante caramelo, substância reconhecidamente cancerígena,

11 - Tofu: segundo Sonia Hirsch, bastam 30 g de tofu por dia, durante um mês, para causar problemas na tireoide. Ele herda os anti nutrientes, como o ácido fítico (que permanece intacto) e inibidores enzimáticos. Para homens ainda, causa queda de libido.

Os únicos produtos de soja recomendáveis são aqueles elaborados a partir da fermentação da mesma, tais como o missô, o tamari, o tempê e o nattô, e de preferência feitos de grãos orgânicos, sem modificação genética. Porém, os que encontramos nas lojas hoje em dia, na sua grande maioria, não são feitos de acordo com os princípios antigos, os quais a soja é submetida a uma fermentação lenta, muitas vezes levando anos pra ficar pronta para o consumo. Portanto, use com muita moderação.

Veja os Mitos e Verdades sobre a soja, segundo a Fundação Weston Price.

 

Temos estes e muitos mais motivos para parar definitivamente o uso da soja, caso você se importe com o destino do nosso planeta:

 

- Área desmatada na Amazônia para plantio de soja aumenta 4 vezes desde 2012

- Cresce o plantio de soja na Amazônia

 

 

 

 

 

 

O glúten e a enxaqueca

Para não ficar mais nenhuma dúvida, faça o teste! Recomenda o dr. Lair Ribeiro.

Em Breve nos Vossos Pratos

O documentário começa mostrando as alterações genéticas e mortes prematuras em porcos numa fazenda na Dinamarca, após adotarem uma dieta com transgênicos. O documentarista viaja até a Argentina, de onde esses alimentos foram importados, e descobre que as crianças dos vilarejos próximos a essas fazendas estão com problemas semelhantes aos dos porcos. Apartir daí a investigação se aprofunda e revela interesses empresariais consentidos por políticos, não só na Argentina como na Europa. Legenda em Português.

AMENDOIM

Tanto o amendoim como a pasta de amendoim são bastante danosos para a nossa saúde. Os 3 principais problemas são: 

1 - Os amendoins têm um teor de lectina mais elevado do que a maioria das castanhas, e as lectinas podem ser ruins para a sua saúde intestinal, especialmente se você já tem a SIP, ou qualquer outro distúrbios intestinal. Os amendoim também contêm aflatoxina (uma espécie de fungo), que é uma toxina que pode ter vários efeitos negativos para a saúde se você a consumir com muita frequência.

2 - Os amendoins contém uma alta quantidade de Omega 6, o que pode ser inflamatório para o corpo se você não consumir a proporção adequada de Omega 3 para equilibrar essas gorduras.

3 - A manteiga de amendoim contém frequentemente os aditivos de xarope de milho de alta frutose e óleos hidrogenados (gorduras trans). Estes são os 2 dos aditivos mais mortíferos colocados nos  alimentos pela indústria.

 

"Orgânicos fazem mal para o planeta" - As asneiras que ouvimos

Neste canal super informativo, a jornalista Ailin Aleixor coloca abaixo todas as teorias pra lá de equivocadas que circulam pela internet a favor dos transgênicos, E informa de maneira muito clara e direta o que são de fato essas plantas modificadas e como elas fazem mal a saúde. 

PAPEL ALUMÍNIO

Presente em praticamente todas as casas em que moram pessoas que cozinham. uado para enrolar ou cobrir alimentos que vão para o forno, ou então nas bandejas dos forninhos elétricos para que a limpeza seja mais pratica, e por ai vai... O que a grande maioria não sabe é que esse material, ao ser aquecido libera partículas de alumínio, e estas irão contaminar sua comida. Doenças cerebrais degenerativas tem uma relação direta com a contaminação por metais pesados, entre eles o alumínio, presente demais da conta na vida das pessoas, não só na forma desse papel amplamente comercializado, mas também nas panelas. Talvez na sua casa não exista nenhuma, mas te deixo com a pergunta: Você tem o hábito de fazer refeições fora de casa ou pedir comida pronta?   

 

 
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now